Honda Biz

A praticidade da moto Honda Biz e como ela ganhou nome no mercado brasileiro.

Honda Biz: A história da montadora de Soichiro Honda começa no Brasil em 1976, quando o mercado de motos ainda era baixo no país, um ano depois após o crescimento de fabricação, a Honda possuía mais de 70% do valor. O objetivo era produzir motocicletas que fossem de alta qualidade e com grande tecnologia, o que sempre esteve na raiz da concessionária.   

Há 23 anos no mercado, a Honda Biz é o modelo CUB (Cheap Urban Bike – moto para cidade e barata) mais querida e conhecida no Brasil.  O objetivo era lançar uma motocicleta simples, de fácil manuseio e com preço bom, iniciando os modelos importados em 1992 com a Honda C-100 Dream (antecedida pela japonesa Honda Super CUB), futuramente sofrendo mudanças para adaptação aos brasileiros.

A primeira moto Biz nacional

No ano de 1994, foi criada a definição C-100 Biz, que virou protótipo um ano depois, e após muitos estudos e testes, foi oficializado a moto Biz no final de 1997, como modelo de 1998.

A motoneta foi criada especificamente para o mercado brasileiro de moto, sendo criação da Honda do Brasil com ajuda da matriz japonesa, para que a moto Biz não diferisse do padrão Honda de qualidade. Foi a primeira a trazer um espaço para guardar capacete sob o assento, mantendo agilidade e economia de combustível.

Foi a evolução da C-100 Dream, e até os dias atuais utiliza o mesmo motor e câmbio dela. Seu consumo é mais frequente no Nordeste (com 30% do mercado de consumidores), atualmente é a segunda moto mais vendida, ficando atrás da Honda CG, sendo os modelos que fazem a Honda ser líder no mercado de motocicletas.

A Honda Biz foi criada para ser pequena, ágil e econômica (tanto na hora da compra, quanto para gastar combustível), além de carregar volume, por exemplo bolsas e sacolas. Assim, foi aderido o porta-objetos grande e compacto para carregar o capacete.

Passados 23 anos, a moto Biz já vendeu mais de 3,4 milhões de unidades pelo Brasil, principalmente na região nordeste.

Mudanças da Honda Biz

Separamos algumas mudanças da Honda Biz ao longo dos anos, que continuam evoluindo.

1ª Honda Biz (1998)

A original Biz foi lançada com uma roda traseira pequena (frente: 17 pol. e atrás: 14 pol.), a primeira CUB que teve espaço para o porta-objetos, trouxe um chassi de aço tubular (um peso menor que outras concorrentes), com visual jovial, tudo fazendo a moto ser de mais fácil manuseio e um menor consumo de combustível. Ficou conhecida pelo design e praticidade, com modernidade, alcançou um excelente número de produção.

Honda Biz – 2005

Após 7 anos da estreia da Biz no mercado brasileiro, a nova moto veio com motor 124,9 cc com 9,1cv. Com um novo visual da Biz 2005, o farol ganhou um desenho mais agravado, com as luzes de seta no escudo frontal (antes ficavam na lateral), foi nomeada de Biz 125.

Honda Biz – 2008

A nova versão da pequenina teve que se encaixar nas regras de emissões de poluentes, passando a ter o sistema de injeção eletrônica, para ser mais econômica e ajudar na diminuição da poluição. O pedal do câmbio rotativo sofreu alteração, para passar as marchas mais facilmente, podendo ser realizada com o calcanhar, voltado, principalmente, para as mulheres. Além disso, o visual continuou o mesmo, tirando o banco que passou a ser mais confortável, e para seguir normas de segurança, o escudo frontal foi alargado.

Honda Biz – 2011

O design da Biz 2011 foi renovado, a versão 125 teve o aumento dos piscas frontais, para não haver acidentes, e os traseiros ficaram pendurados perto da lanterna de freio. A outra novidade foi o motor flex (bicombustível).

Apenas com duas versões, a KS -freio a tambor e partida por pedal- e a ES – com partida elétrica-.

Honda Biz – 2016 

No ano de 2016, a versão de entrada adotou um motor mais potente, de 110cc. Além do uso do sistema de injeção eletrônica para não fugir das normas de poluição e continua sendo um modelo econômico.

Honda Biz – 2019

No final de 2018 foi anunciada a versão Biz 2019, as duas versões com novas opções de cores (cinza e prata metálicos, assim como o vermelho pérola), mas com o mesmo conjunto mecânico (110i com 8,3 cv e a mais potente 125i para 9,2 cv de antes.)

Honda Biz – 2021

Apesar de um tempo fora de novidades, veio a Honda Biz 2021, com um novo visual (nova cor: marrom pérola), para a versão 125, além de assentos na cor bege.  Possui painel com LCD, freio ABS, e manteve o motor de 125cc de 9,2cv, com câmbio semi automático (4 marchas).

Por mais que não haja grandes mudanças, a moto Biz continua sendo uma das mais compradas no Brasil, ultrapassando mais de 4 milhões da produção das unidades.

Perguntas frequentes sobre a tabela fipe de moto

A tabela fipe de moto é um meio de consulta que serve como base referencial de preços médios de motos, para a venda de motos novas e usadas a partir do que foi ofertado por vendedores no mercado brasileiro. Além disso, é importante como indicador para, por exemplo, tributos, seguros, financiamentos, contratos, etc.

Tabela fipe de moto não é o preço final de uma moto

É preciso saber que a tabela não é o que determina o preço final da moto (ou que seja regra), mas sim um método de partida para análise de venda e avaliação. Isso é, pesquisadores baseiam-se na coleta de preços das motos novas e usadas, descartando preços muito alto, muito baixo ou com baixas observações estatísticas, gerando índices e indicadores, para os preços médios.

A análise na Tabela fipe pode ser realizada de acordo com a versão, motorização e ano-modelo de uma moto, a sua conservação, algumas diferenças pontuais (exemplo, cor e acessórios), e, em alguns casos, a sua localização (alguns tipos de veículos são melhores para uma região específica), podendo, dessa forma, variar.

Preço da moto

É preciso saber que a tabela fipe não é o que apenas determina o preço da moto, mas sim um método de partida para análise de venda e avaliação.

A análise pode ser realizada de acordo com a versão da moto, motorização e ano-modelo, a sua conservação, algumas diferenças pontuais (exemplo, cor e acessórios), e, em alguns casos, a sua localização (alguns tipos de veículos são melhores para uma região específica), podendo, dessa forma, variar.

Se você já tentou vender a sua moto usada, uma das primeiras perguntas que você faz a si mesmo é: quanto vale o preço da tabela fipe para moto usada como a minha?

E ainda mais: Será que este valor apresentado vai ser o valor final da minha moto usada? Abaixo vamos falar sobre fatores que influenciam no valor final do seu usado e que podem fazê-lo valer mais ou menos que o preço da tabela fipe.

Fatores que influenciam o preço da tabela fipe para moto usada

Alguns aspectos devem ser levados em consideração na hora de vender sua moto usada e que podem impactar no preço de venda e o valor do veículo da tabela fipe. Abaixo listamos alguns pontos que devem ser considerados e impactam no valor final da moto seminova em comparação com o preço da tabela fipe de um veículo:

Motos usadas que sofreram colisão leve ou média (o preço final pode chegar a 80% do valor descrito na tabela fipe); Motos com quilometragem acima da média (o preço final pode chegar a 85% do valor descrito na tabela fipe); Motos que não sofreram nenhum tipo de colisão, que estão dentro da média de km e que possuem um histórico completo de manutenção (o preço final pode chegar a 110% do valor descrito na tabela fipe).

Obs: Estes percentuais são apenas uma referência, visto que além disso existem outros que influenciam no valor de mercado do seu veículo, como modelo, conservação, cor e até região do país. Para ter um valor mais exato é importante buscar uma empresa especializada para realizar esse tipo avaliação, onde será feita vistoria completa para para determinar o seu real estado, além de uma pesquisa de mercado para entender os valores médios para determinado tipo de veículo na região.

tabela fipe, moto usada, moto semi-nova

A tabela fipe de motos: sua importância e onde consultar

A tabela fipe de motos é a principal referência no Brasil para quem deseja comprar ou vender motos usadas ou seminovas. O índice fipe é baseado em uma coleta de dados que considera o preço de carros, motos e caminhões em todo o território nacional. O preço considera motos novas e usadas. Além disso, o preço da fipe é atualizado mensalmente, refinando os detalhes.

Você pode consultar rapidamente e de forma gratuita o preço dela para o seu veículo novo ou usado a partir dos links abaixo:

Abaixo você tem acesso ao preço de motos novas ou usadas:

Abaixo você tem acesso ao preço de carros novos ou usados:

Abaixo você tem acesso ao preço de caminhões novos ou usados:

Observação importante

Uma observação importante e que deve ser levada em consideração: A tabela fipe não é o único fator para definir qual será o preço final de venda de uma moto nova ou usada. Vários outros fatores podem determinar o valor de mercado da sua moto, como: Estado geral da moto, mecânica e conservação da moto, se a moto já foi batido ou não, se a documentação está em dia, entre outros. Ou seja, a tabela fipe não é o principal meio de se precificar um veículo na hora da venda ou compra de uma moto.

O valor apresentando na tabela fipe serve apenas como uma referência para o cálculo dos seus impostos e seguro. A forma mais correta para se obter o preço mais real do valor final de uma moto é consultar o preço de mercado da moto, que é influenciado por diversos fatores, incluindo se ele está sendo procurado pelo mercado.

Ao querer vender sua moto, um dos maiores questionamentos é como valorizar e conseguir um preço acima da tabela fipe. Mas quais itens são avaliados e como cuidar da sua moto usada para fazer com que ele tenha um preço melhor no mercado?

Como definir um valor para vender sua moto usada?

Procure locais ou pessoas que estejam vendendo o mesmo seminovo que o seu, tente se ater ao ano-modelo para ter um referência condizente com sua moto. Nessas buscas, procure fatores que diferenciam sua moto das demais, ou seja, alguns atrativos positivos que vão servir como argumento de venda na hora de negociar.

Existem alguns fatores que influenciam no preço final da sua moto: estado de conservação, quilometragem e histórico do veículo. Esses quatro pontos são os principais e que mais vão influenciar no preço de venda da sua moto.

Como ter mais chance de vender seu veículo acima da tabela fipe?

Agora, se você quer vender seu seminovo um pouco acima da tabela fipe, você deve fazer uma vistoria geral na moto. Conferir toda a parte mecânica do mesmo, como sistema de suspensão, direção, freios, luzes e pneus. Além da parte mecânica da moto, a estética deve estar em dia, como pintura em bom estado de conservação. Além de tudo o que foi dito, não devemos levar em consideração apenas do preço da moto usado pela tabela fipe. O meio correto é consultar o preço de mercado do veículo usado, que é influenciado por diversos fatores acima mencionados e se ele está sendo procurado pelo mercado.